Minha história | Boletim do Patrocinador | Certeza da Vitória

Uma carreira a serviço do Reino

Teste – 24
1 de junho de 2021
Graça Kids lança segundo episódio de histórias inesquecíveis
1 de julho de 2021
A Pra. Elizabeth no púlpito: “Minha motivação é ver pessoas sendo libertas” – Foto: Arquivo pessoal

UMA CARREIRA A SERVIÇO DO REINO

Elizabeth Souza lidera o grupo MQV, dirige a Agrade e é pastora na IIGD no Amapá


Carlos Fernandes


Membro, obreira, coordenadora de curso bíblico, líder de ministério e pastora. Essa é a trajetória da pedagoga Elizabeth Gomes de Souza, de 43 anos, da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) no Amapá (AP). No templo-sede da capital, Macapá, ela auxilia a liderança estadual da Igreja. Uma atuação diversificada e abrangente: Elizabeth coordena a Academia Teológica da Graça de Deus (Agrade) e o grupo Mulheres que Vencem (MQV), além de pregar, aconselhar e atender casais. 

Pra. Elizabeth: dedicação ao aconselhamento feminino e de casais – Foto: Arquivo pessoal

Para quem achou pouco, Elizabeth também é casada e tem três filhos. Assim, ela se desdobra para cuidar das demandas pessoais e familiares. “Tudo exige disciplina e organização”, diz a líder, que também possui graduação em Psicopedagogia. “A formação nessa área tem contribuído para gerenciar a minha rotina e as atividades diárias. Costumo anotar tudo em um caderno, para me lembrar de executar todas as tarefas”. Mulher-Maravilha? Nada disso. Elizabeth é uma mulher de Deus. 

“A minha motivação é ver pessoas sendo libertas e participar dos propósitos do Altíssimo”, ensina. A ligação com a Igreja da Graça vem desde a conversão de Elizabeth ao Evangelho, em 2001. “Já conhecia a IIGD pela TV e observava que aquele povo era feliz. Eu desejava essa alegria”. A felicidade era exatamente o que lhe faltava. “Eu vivia triste, desanimada e amargurada. Isso me fez tentar o suicídio duas vezes. Graças a Deus, não funcionou”, diz, aliviada.  

Elizabeth com o marido, Antônio, e os filhos, Antônio Jr., Júlia e Jônatas: vida familiar conciliada com o ministério – Foto: Arquivo pessoal

Foi por meio da família de seu marido, Antônio, que Elizabeth chegou à Igreja. “Eles me convidaram para participar de um culto. Relutei, mas, um dia, resolvi ir”. Ao chegar, ela se lembra de não ter se sentido à vontade. Contudo, ouvindo a mensagem do Evangelho, a transformação se iniciou. “Observei que eu estava bem melhor do que antes. A Palavra estava me moldando. Foi quando aceitei Jesus como meu Salvador”. O batismo veio em seguida, durante a gravidez do seu primeiro filho. 

“Direção de Deus”

Em pouco tempo, Elizabeth se candidatou à obreira e não parou mais. Assumiu a coordenação da Agrade no Amapá em 2010, função que lhe dá enorme satisfação. “Ela me ensina a conhecer mais a Bíblia e preparar pessoas que desejam se aperfeiçoar na obra do Senhor, além de me fornecer capacitação e crescimento espiritual”. Com seu conhecimento profissional na área de Educação, ela vê a importância da Academia Teológica da Graça de Deus nas igrejas: “É um dos cursos bíblicos mais completos. O ensinamento tem resgatado almas para o Reino e preparado homens, mulheres e jovens para cumprir o seu chamado com compromisso, dedicação e amor”.

Formatura da turma da Agrade: escola oferece curso bíblico completo – Foto: Arquivo pessoal

A ordenação ao pastorado veio em 2015, e, três anos depois, Elizabeth assumiu outro cargo que lhe exige intensa dedicação. “Como diretora do MQV, tenho acompanhado várias situações que envolvem casamento, filhos e vida pessoal”. Segundo ela, o aconselhamento conjugal tem sido bastante procurado. A pastora atribui isso à falta de direção bíblica nos relacionamentos. “Infelizmente, algumas pessoas não têm se firmado no Senhor, porque escolheram entrar pela porta larga, que é mais fácil. Eu digo isso no caso do divórcio. Hoje, qualquer toalha jogada na cama é motivo de separação”.

Apesar de suas múltiplas ocupações, a Pra. Elizabeth entende que o Senhor lhe acrescentará o necessário, se, primeiro, buscar o Reino de Deus e a Sua justiça. “Procuro fazer do texto de Tiago 1.5 uma meta”, afirma. O apóstolo fala que, se alguém precisa de sabedoria, deve pedi-la a Deus. “Tenho compartilhado essa experiência com as mulheres que me procuram. Cada caso é um caso, mas tudo segue a direção do Senhor.”  


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *