Na escola do Espírito Santo | Boletim do Patrocinador | Certeza da Vitória

Na Escola do Espírito Santo – 15

Missões Globo – Nepal
1 de setembro de 2020
Missões Globo – Bélgica
1 de outubro de 2020
Exibir tudo

TUDO É POSSÍVEL

 

A libertação de um jovem lunático, registrada em Marcos 9, traz importantes revelações que ajudam na solução de problemas aparentemente insolúveis. Vejamos passo a passo o que ocorreu naquele dia, pois, por certo, enfrentamos situações semelhantes hoje, e a resposta será a mesma.

A SUBIDA AO MONTE – O Mestre deixou Seus discípulos perto de um monte, levando somente três deles para uma reunião reservada: E, seis dias depois, Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte, e transfigurou-se diante deles (Mc 9.2). Quem não atende ao convite do Céu para fazer algo em favor do Reino de Deus, sem dúvida, ficará sem as revelações especiais da capacidade do poder divino. Ora, o Salvador jamais convidará alguém despreparado, ou que nunca se dedica à Sua obra como deveria (Jo 14.21).

PREPARADOS POR JESUS – Os três discípulos poderiam ser mais bem-sucedidos do que antes, pois viram Jesus na Sua intimidade, como Ele era na presença do Pai. Há segredos que Deus só dará a conhecer aos que Lhe servem com integridade de coração, disposição de fazer o bem e dedicação completa às Suas ordens: E servireis ao SENHOR, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades (Êx 23.25). Essa promessa é valida e deve ser reivindicada em caso de enfermidade na sua vida e na dos seus familiares.

A MULTIDÃO E OS DISCÍPULOS – E, quando se aproximou dos discípulos, viu ao redor deles grande multidão e alguns escribas que disputavam com eles (Mc 9.14). Vendo a multidão ao redor dos discípulos e alguns escribas que disputavam com eles, o Mestre logo quis saber do que se tratava, e a resposta veio de um pai agoniado por causa do sofrimento de seu filho. O homem explicou a Jesus que havia levado até Ele o filho atormentado por um espírito maligno, o qual se esforçava para matá-lo, jogando-o no fogo e na água, porque os discípulos não puderam expulsá-lo.

A DURA RESPOSTA E ele, respondendo-lhes, disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei ainda? Trazei-mo (Mc 9.19). Eles já deveriam ter aprendido a agir em uma ocasião como aquela, pois sabiam que, um dia, o Senhor não estaria mais com eles, e teriam de realizar a obra como Ele fez. Jesus externou o quanto o fracasso deles O fazia sofrer. Então, ordenou que o rapaz fosse levado a Ele e, mais uma vez, ensinou aos discípulos como proceder em casos semelhantes.

O SHOW SE REPETE – E trouxeram-lho; e, quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência; e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, espumando (Mc 9.20). O maligno quis enganar o Filho de Deus com seu truque para não sair do jovem, mas a razão era outra. Daqui, tiramos algumas lições:

a) O diabo nunca fala a verdade; portanto, não creia no que ele diz nem no seu show.

b) Ao ver Jesus, o espírito agitou o jovem com violência. Esse é o último ato do inimigo antes de sair.

c) Jogou o rapaz ao chão, revolvendo-se, espumando.

A CALMA DO SENHOR – De nada adiantava Se apressar para socorrer o jovem, mas, de modo calmo e firme, Jesus mostrou como agir. Dirigindo-Se ao pai, indagou: Quanto tempo há que lhe sucede isto? E ele disse-lhe: Desde a infância (Mc 9.21). O homem continuou a falar: E muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos (v. 22).

Cristo estava ensinando o que os discípulos já deveriam ter aprendido. Toda vez que o diabo fazia aquela cena, as pessoas logo se desligavam de Deus e tentavam socorrer o jovem. Ora, se você mantiver fé no Senhor, será dirigido por Ele.

AS FALAS DO PAI – É importante rever tais palavras, porque delas tiramos um aprendizado bom e correto. Lembre-se de que Jesus estava levando o filho dele à libertação, por isso era necessário que o pai contasse o que ocorrera, pois foi algo que ele fizera ou deixara de fazer para o diabo agir no rapaz.

a) Ele disse: Desde a infância. As cenas ainda estavam vivas na sua mente.

b) E muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o destruir. Ele estava chegando ao ponto.

c) Abruptamente, cortou a resposta e afirmou claramente: Mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. O homem não queria falar mais do assunto, porque percebera que, pelo fato de ter se negado a fazer algo para Deus, abriu a porta para o maligno se apoderar do filho. Agora, ele sabia fazer o que sempre evitou. De fato, houve um dia em que não obedeceu ao Senhor após receber uma missão dEle.

A RESPOSTA – Por que Jesus deixou o jovem manifestado com o espírito mau e não o atendeu de pronto? Aquele demônio não sairia, se o pai não se arrependesse do pecado cometido. O pior dos erros é não dar atenção a Deus. Com isso, toda a prole sofre. Lembre-se de que Davi adulterou e foi responsável pela morte de Urias; por isso, a espada não saiu da sua casa (2 Sm 12.9-12).

O Mestre respondeu ao pai: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê (Mc 9.23). Ao ouvir a verdade dos lábios de Quem é a Verdade, o homem se arrependeu: E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade (Mc 9.24). A sua atitude era real; porém, se estivesse mentindo ou tentando enganar Jesus, seria desmascarado.

O SHOW ACABOU E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai dele e não entres mais nele. E ele, clamando e agitando-o com violência, saiu; e ficou o menino como morto, de tal maneira que muitos diziam que estava morto. Mas Jesus, tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou (Mc 9.25-27). Mais tarde, já em casa, o Senhor disse que aquela legião só sairia com oração e jejum! Os discípulos haviam deixado a fé de lado, tentando ajudá-lo por si mesmos.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *