Restauração | Boletim do Patrocinador | Certeza da Vitória

“Compreensão, harmonia e paz”

É hora de passar de ano
Bênçãos que nos pertencem
Foto: 123RF

“COMPREENSÃO, HARMONIA E PAZ

Rosinete descreve como a fé foi fundamental para restaurar seu casamento

Poucas coisas são piores na vida de uma mulher do que a infidelidade conjugal do marido. Esse foi o drama enfrentado pela dona de casa Rosinete Cardoso dos Santos Pereira durante longos 14 anos. Seu esposo, o hoje militar da reserva Luís Agnaldo Pinto Pereira, além de manter um caso, também bebia bastante. “Faltavam paz e harmonia em meu lar. Eu era muito infeliz”, sintetiza Rosinete. 

Foto: Arquivo pessoal

Diante dessa situação e sem ter uma fé que a amparasse – na época, ela não era evangélica –, Rosinete não sabia o que fazer. “Cheguei a pensar que a separação seria a melhor saída”. Ela estava equivocada – afinal, o Senhor cuida daqueles a quem tem escolhido. “Um dia, passei em frente à Igreja Internacional da Graça de Deus e senti vontade de entrar”, conta. Era uma sexta-feira, dia dedicado à oração por libertação, justamente o que Rosinete buscava para seu marido. Acolhida pelo pastor e pelas irmãs da Igreja, ela se sentiu tão bem que continuou frequentando as reuniões. 

Iniciou-se, então, uma longa batalha de oração, a qual durou cinco anos. A dona de casa abraçou as promessas da Palavra de Deus de maneira intensa. “Comecei a participar dos cultos e das campanhas e patrocinei minha família”. Contudo, nesse meio-tempo, as coisas regrediram: “Vivi momentos extremamente difíceis com o meu esposo. Parecia que a situação só piorava. Mas tive fé de que tudo passaria – eu só precisava perseverar na caminhada com Cristo”.

A dona de casa paraense encontrou, na Igreja da Graça, a força para vencer na fé Foto: Arquivo pessoal

Rosinete salienta que o apoio da comunidade da Igreja da Graça foi fundamental para que ela cresse na libertação de Luís Agnaldo: “Ele dizia que nunca iria à Igreja comigo. Mesmo assim, permaneci em oração”. Porém, a Bíblia Sagrada diz que o marido incrédulo é santificado pelo convívio com a mulher crente, conforme 1 Coríntios 7.14. E assim aconteceu. “O comportamento do meu esposo foi moldado por Deus. Primeiro, ele parou de beber; depois, deixou a amante”.

As promessas das Sagradas Escrituras têm se cumprido na vida conjugal de Rosinete Foto: Arquivo pessoal

Rosinete perdoou os erros do companheiro, entendendo que ele desconhecia a verdade do Evangelho. “A restauração do nosso casamento e dos nossos sentimentos é, sem dúvida, uma bênção”, afirma. “As brigas acabaram desde que ele se converteu. Temos compreensão, harmonia e paz, que, antes, faltavam”. Hoje, o casal frequenta o templo central da Igreja da Graça em Santarém (PA). Juntos, é claro – agora, para sempre. 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *